Municípios Campeões de Leite

Porteira Rural > Notícias e Eventos > Notícias > Municípios Campeões de Leite

Municípios Campeões de Leite

Castro, no Paraná, continua como o grande destaque na produção de Leite, com 227 milhões de litros/ano e uma produtividade de 7.510 litros/vaca/ano, semelhante a Holanda e Alemanha.

A produção brasileira de leite, estimada pelo IBGE-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, foi de 32,304 bilhões de litros em 2012. Apesar de ser produzido em todo o território nacional, há uma concentração de áreas mais produtivas nas regiões Sudeste e Sul, com volume aproximado de 22,3 bilhões de litros, que representa 70% do volume total. Na figura 1 observam-se as microrregiões destacadas de acordo com a densidade de produção, que foi calculada como sendo o volume de leite por área. A região Sul possui as microrregiões mais expressivas, com volume acima de 45 mil litros/km2/ano. Os Estados de Minas Gerais e Goiás abrigam as áreas de mediana densidade, entre 15 e 45 mil litros/km2/ano. O restante do País, onde não se observam definidas as microrregiões, possui densidade baixa, isto é, inferior a 15 mil litros/km2/ano.

Município x densidade – Considerando o volume de leite agregado por município e classificando cada um por densidade de produção, litros/km2/ano, tem-se que em 93% deles a produção é inferior a 50 mil litros/ano. Apenas 7% dos municípios brasileiros apresentam volume de leite por área superior a 50 mil litros/ano, que totalizaram 367 municípios, e que neles foram produzidos 7,9 bilhões de litros de leite, que representaram 24% da produção nacional (tabela 1). Municípios com densidade de 100 mil a 150 mil litros/km2/ano produziram 1,48 bilhão de litros e estão localizados em Santa Catarina (48%), no Rio Grande do Sul (38%), no Paraná (10%), dois em Minas Gerais e um em São Paulo.

Os 15 municípios campeões em produção de leite por área estão listados na tabela 2, pela qual se observa que nove deles estão localizados em Santa Catarina, cinco no Rio Grande do Sul e um no Estado do Paraná. Westfalia, no Rio Grande do Sul, e Coronel Freitas, em Santa Catarina, produziram volumes superiores a 250 mil litros por km2 (tabela 2). Oito municípios possuíam densidades entre 200 e 250 mil litros/km2/ano, que também estão localizados no Rio Grande do Sul: Casca, Boa Vista do Buricá e Estrela e, em Santa Catarina, São João do Oeste, Anchieta, Cunhataí, Palmitos e São Carlos.

Entre os municípios campeões em densidade de produção, em Carambeí-PR a produtividade média por vaca ordenhada foi de 5.891 litros/ano, seguido por Casca-RS (5.400 litros) e Boa Vista do Buricá-RS (5.105 litros), que são produtividades muito superiores à média nacional, de 1.480 litros/vaca ordenhada/ano. Os municípios de Estrela, Westfalia e Teutônia apresentaram produção entre 4.444 litros e 4.929 litros/ano. 

Município x volume – Considerando o volume total de leite por município, independentemente do tamanho deles, e classificando-os por quantidade produzida, encontramos uma mudança de região, onde 47% deles estão em Minas Gerais, 27% em Goiás, 20% no Paraná e apenas um município em Santa Catarina e nenhum, entre os quinze, do Rio Grande do Sul (tabela 3).
Castro, no Paraná, é o grande campeão em produção de leite, com 227 milhões de litros/ano e com uma produtividade média de 7.510 litros/vaca/ano, que é semelhante a Holanda (7.500 litros/ano) e Alemanha (7.200 litros/ano), países importantes no cenário mundial de leite.

O segundo maior produtor de leite, Patos de Minas, em Minas Gerais, produziu, em 2012, 150 milhões de litros e a produtividade animal de 2.685 litros/vaca ordenhada/ano, que foi um valor alto quando comparado com a média nacional, porém muito abaixo do de Castro.O município de Prata, também em Minas Gerais, está entre os grandes produtores de leite, porém a média de 1.148 litros por vaca ordenhada é inferior à média nacional, indicando a forte presença de sistemas sem especialização na atividade ou de duplo propósito. 

Para que o País se torne um importante player no setor e atenda à demanda interna de produtos lácteos é necessária a melhoria de vários fatores, e um deles, como mencionado no artigo anterior, é a produtividade do rebanho, que reflete a especialização dos sistemas de produção de leite, seguindo o exemplo dos municípios campeões no leite, sejam eles por alta densidade ou por volume de produção.


Rosangela Zoccal é pesquisadora da Embrapa Gado de Leite, de Juiz de Fora-MG
rosangela.zoccal@embrapa.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chat with us on WhatsApp